Dr. Wagner Hummig
Especialista em DTM e Dor Orofacial
Mestre em Farmacologia da Dor
CRO-PR 9702 CLM-PR 3034

Ronco e Apneia

Conheça a arquitetura do sono

1ª fase do sono NREM (Não Rem):

É a fase do adormecimento. Essa fase pode durar de alguns instantes até 15 minutos e ocupa de 5% a 8% da noite de sono. Funciona como uma espécie de zona intermediária entre estar acordado e dormindo. O cérebro produz ondas irregulares e rápidas e a tensão muscular diminui. A respiração fica suave e os pensamentos do mundo desperto flutuam pela mente. Se for acordada nessa fase, a pessoa reagirá rapidamente, negando que estava dormindo.

2ª fase do sono NREM (Não Rem):

De um sono mais leve. A temperatura corporal e os ritmos, cardíaco e respiratório diminuem. As ondas cerebrais diminuem ainda mais. Essa fase ocupa de 45% a 55% do tempo total do sono, durando cerca de 20 minutos. As ondas do cérebro alongam-se, regularizam-se e são afetadas somente por alguma atividade elétrica isolada e repentina. Nesta fase, a pessoa cruza definitivamente o limite entre estar acordada e dormindo. Se alguém levantar suavemente a pálpebra de uma pessoa nessa fase do sono, ela não acordará. Os olhos já não respondem a um estímulo.

3ª fase do sono NREM (Não Rem):

O corpo começa a entrar no sono profundo. As ondas cerebrais tornam-se grandes e lentas. É uma fase rápida. Dura cerca de dez minutos por ciclo, o que corresponde a uma média de 5% do tempo na cama.

4ª fase do sono NREM (Não Rem):

É o sono profundo, onde o corpo se recupera do cansaço diário. Essa fase é fundamental para a liberação de hormônios ligados ao crescimento e para a recuperação de células e órgãos. Dura cerca de 55 minutos, não mais que 20% da noite. A pessoa fica totalmente inconsciente. Está tão fora do mundo que nem uma tempestade poderá acordá-la.

Sono REM:

A atividade cerebral está a pleno vapor e desencadeia o processo de formação dos sonhos. Os músculos ficam paralisados, as frequências, cardíaca e respiratória voltam a aumentar e a pressão arterial sobe. É o momento em que o cérebro faz uma espécie de faxina geral na memória. Fixa as informações importantes captadas durante o dia e descarta os dados inúteis. Durante o REM, os músculos longos do tronco, os braços e as pernas estão paralisados, mas os dedos das mãos e dos pés podem contrair-se. O fluxo sanguíneo em direção ao cérebro aumenta e a respiração fica mais rápida e entrecortada. REM é a fase dos sonhos vividos. Se a pessoa for acordada aqui, provavelmente recordará fragmentos de suas fantasias. Depois de 10 minutos de REM volta-se a descer às fases de sono quieto.

Nas primeiras horas da noite predomina o REM. Pela manhã, percorre-se de quatro a cinco vezes o circuito do sono completo.

Como a higiene do sono pode melhorar a sua qualidade de vida

Higiene do sono é um grupo de hábitos pessoais e condições do ambiente que contribuem para as pessoas terem um sono normal. Uma higiene de sono ruim é causa frequente de queixas de dificuldade para dormir à noite e sonolência durante o dia. Existe no cérebro um mecanismo que determina um ritmo de períodos de sono e vigília, regulando a necessidade de dormir conforme a quantidade de tempo que passamos acordados no dia anterior. Quanto menos dormimos e quanto mais ficamos acordados num período de 24 horas, mais teremos necessidade de dormir no período seguinte. Daí já parte uma constatação: se você dormiu pouco numa noite, não se preocupe, a próxima será muito melhor!

Há uma considerável variação na duração do sono em pessoas normais. O tempo médio de sono para adultos jovens é de 6 a 9 horas por noite, porém pode variar para mais ou para menos. Para um sono saudável é importante uma regularidade de hábitos de vida: levantar no mesmo horário todos os dias, manter boa forma física e se expor a luz solar.

A capacidade de iniciar sono em qualquer hora do dia, comum nas crianças, está muito diminuída após 25 anos de idade. As pessoas referem irritação pois com o passar do tempo é cada vez mais difícil adiantar o início do sono, em relação à sua periodicidade usual. O número de períodos acordados durante a noite aumentam depois dos 45 anos.

Muitos fatores nos levam a acordar durante o sono. A maioria deles são óbvios: problemas financeiros, provas na escola, crises no emprego, conflitos conjugais. Porém, alguns deles são simples costumes que as pessoas adquirem de sua família. Um exemplo é o de pessoas que continuam a pensar no trabalho, nas coisas que ocorreram durante o dia e tentam decidir ações para o dia seguinte, tudo isto na cama, exatamente no momento em que desliga a luz para iniciar o sono. Estes e outros hábitos precisam ser modificados.

Com respeito a tensão emocional, muitas pessoas têm pouco conhecimento da necessidade de colocar um período de relaxamento entre os fatores de stress do dia e o período de descanso noturno. Com certeza deve-se encorajar qualquer conduta na hora de deitar que interrompa a ligação entre os fatores estressantes do dia e o período de sono.

Algumas pessoas precisam de auxílio para mudar o comportamento durante o tempo de preparo para dormir. Por exemplo, pode ser benéfico usar 10 minutos antes de dormir, para fazer uma lista curta dos fatores psicológicos estressantes durante o dia , com o objetivo de deixá-los para o dia seguinte. Muitas técnicas são usadas para relaxamento, desde maditação até leitura de lazer, como romances e gibis.

O quarto precisa ser escuro e silencioso. Todos os estímulos devem ser retirados do quarto, inclusive a TV deve ser desligada. A cama deve ser usada para dormir. A atividade sexual pode ser excitadora ou sedativa, dependendo do indivíduo. Se a atividade sexual é excitadora deve ser realizada num momento não próximo ao de dormir. Outro estímulo comum de despertar é um relógio visível ou barulhento.

A cafeína pertence ao PAXAS, o partido xiíta anti-sono: aumenta o período acordado e diminui o tempo de sono noturno. Uma xícara de café tem 100mg de cafeína, café bem forte tem até 200mg. Chá mate e bebidas do tipo guaraná e as colas tem entre 50 e 70mg por copo. Os efeitos da cafeína são máximos até 6 horas após a ingestão, mas podem durar até 14 horas. O uso de cafeína em doses grandes deve ser eliminada em qualquer pessoa queixando-se de distúrbio de sono. Qualquer pessoa que consuma 500mg ou mais de cafeína por dia, deve ser encorajada a parar ou diminuir o uso da cafeína e observar o efeito nas noites seguintes de sono. Estas doses de cafeína causam ansiedade também.

Algumas pessoas usam álcool, outro membro do PAXAS, para resolver sua dificuldade de pegar no sono. Muitos acordam com pesadelos, suando e com dor de cabeça, mesmo após doses moderadas perto do período do sono. Em maiores quantidades o álcool cria dificuldades para dormir. Um episódio moderado de alcoolismo é mais que 3 e menos que 8 doses de whisky. Uma dose deveria ser tomada quatro horas antes da hora planejada para dormir. Independentemente da idade e sexo, quem tem roncos ou apneia do sono deve limitar a ingestão de álcool ou qualquer remédio tranquilizante antes de dormir.

A nicotina também é do PAXAS: tem efeito semelhante à cafeína sobre o sono; e por consequência, na produtividade e estado do humor no dia seguinte. Em concentrações baixas produz relaxamento e em doses altas aumenta o estado de vigília. Estes efeitos podem ocorrer em sequência produzindo despertar em vez do sono desejado. A combinação de efeito de acordar da nicotina e da cafeína com o efeito de sedação do álcool pode prejudicar o sono. O paciente adormece, quando o nível de álcool no sangue vai diminuindo e os níveis de nicotina e cafeína são ainda altos há uma interação entre os três estados que levam ao acordar. A soma desses efeitos em fumantes pode alterar profundamente a manutenção do sono, principalmente acima de 45 anos.

A Classificação Internacional de Distúrbios do Sono cita 88 desordens de sono. Na apneia do sono, a pessoa pára de respirar, parece se afogar quando reinicia a respiração, e ronca. Na narcolepsia, ocorrem crises incontroláveis de sono durante o período de vigília. Na enurese, crianças ou jovens com mais de 4 anos de idade urinam durante o sono. Na síndrome das pernas inquietas, ocorrem movimentos repetitivos das pernas durante a noite, que prejudicam o sono do cônjuge! No sonambulismo as pessoas sentam na cama, falam, agem e andam sem acordar. Na paralisia do sono a pessoa acorda e não consegue se mexer. Na síndrome de pânico, a pessoa acorda com palpitações, sudorese, dificuldade para respirar e sensação de morte iminente.

Qualquer pessoa com problema para dormir ou com sono excessivo de dia deve ser avaliada por um médico. Dependendo da avaliação, existe a indicação de realizar uma polissonografia, exame que determina a arquitetura do sono, ou seja, a sequência de fases que o paciente atinge durante a noite. São gravados eletroencefalograma, movimento dos olhos e das pernas, batimentos cardíacos, a corrente de ar que passa pelo nariz ou pela boca, os movimentos de respiração toráxica e abdominal, o tônus muscular e a quantidade de oxigênio no sangue. Nos exames mais sofisticados e completos todos estes dados são gravados em computador durante uma noite inteira. Um outro exame, chamado Teste de Latência Múltipla do Sono, permite avaliar o grau de sonolência diurna, uma queixa clínica comum. No caso de apneia do sono, a sonolência diurna pode levar à pressão aumentada no pulmão, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca, entre outras complicações. Este assunto é importante pois sonolência durante o dia está associada a acidentes de trânsito e baixa produtividade no trabalho. Uma má higiene do sono pode complicar qualquer outra doença de sono e deve ser considerada em qualquer plano de tratamento.

GUIA DO SONO BOM

Evite cochilos, pequenos períodos de sono fora do horário principal de sono, como siestas. Em caso de dúvida converse com seu médico, porque em algumas doenças do sono, cochilos podem ser benéficos.

Tenha períodos de sono com um número médio de horas suficiente para você se sentir descansado. Muito tempo de cama diminui a qualidade do sono nas noites seguintes.

Faça exercícios regulares todos os dias, preferencialmente 40 minutos por dia em atividades que façam suar, pelo menos 6 horas antes de ir para cama dormir.

Fique fora da cama em tempo regular todos os dias da semana, inclusive sábados e domingos.

Não ligue luzes fortes quando se levantar durante a noite. Tome pelo menos 30 minutos de luz solar de dia.

Não fume para conseguir dormir, obviamente não fume após às 19:00 horas ou, sem dúvida, pare de fumar definitivamente.

Evite cafeína em geral, limite o uso de café a não mais de três xícaras antes das 15:00 horas.

Atente para o uso de álcool, ele pode piorar o sono.

Deixe o relógio fora de sua visão, não procure saber as horas se acordar durante a noite.

Não beba ou coma excessivamente, desde 3 horas antes de dormir até acordar pela manhã. Se você tem problemas de regurgitação ou hérnia de hiato, evite alimentos pesados e temperos à noite.

Torne seu quarto escuro, silencioso, bem ventilado e com temperatura agradável durante a noite. Usar tapadores de ouvidos e de olhos pode ajudar em ruas barulhentas e quartos sem venezianas. Leitura de lazer antes de ir dormir pode ajudar muito a iniciar o sono.

Deixe as preocupações de lado. Perdoe-se e perdoe os outros.

Não tente dormir arduamente, mas concentre-se em sensação agradável de relaxamento.

O uso ocasional de comprimidos para dormir é permitido. Usados regularmente muitos viveram e pioram o problema.

Use a cama somente para dormir, não trabalhe nem faça reuniões familiares ou de trabalho na cama.

Conceitos básicos sobre Ronco, Hipopnéia e Apneia

RONCO

Expressa a obstrução parcial das vias aéreas superiores, ocorrendo vibração dos tecidos moles da orofarige, emitindo desta maneira aquele barulho tão característico.

HIPOPNÉIA

Redução do fluxo aéreo nasal, oral e do esforço respiratório toracoabdominal a menos de 1/3 do nível de volume nasal,ou seja, a capacidade de respiração fica reduzida a aproximadamente 30% de um volume que teoricamente deveria de ser de 100%. Neste caso a passagem de ar não é ainda totalmente interrompida e sim reduzida.

APNÉIA

Vem do grego que significa "negação do ar" expressa a obstrução total das vias aéreas em pelo menos 10 segundos. Veja quais as consequências da falta de tratamento neste site.

Possíveis consequências da ausência de tratamento dos distúrbios de ronco e apneia

HIPERTENSÃO ARTERIAL

HIPERTROFIA VENTRICULAR DIREITA E ESQUERDA

ATAQUE CARDÍACO SÚBITO

AUMENTO RISCO DE INFARTO CEREBRAL

SONOLÊNCIA DIURNA EXCESSIVA

ACIDENTES AUTOMOBILÍSTICOS E DE TRABALHO

IMPOTÊNCIA SEXUAL

GANHO DE PESO INCONTROLÁVEL

DEPRESSÃO

CAUSAS CONJUGAIS E SOCIAIS

ÓBITO

Saiba quais são os sintomas de quem sofre de ronco e/ou apneia

SINTOMAS NOTURNOS:

- pausas respiratórias

- sono agitado com múltiplos despertares

- a pessoa levanta várias vezes durante a noite para urinar

- sudorese (aumento da transpiração em comparação a uma pessoa normal)

SINTOMAS DIURNOS:

- sonolência excessiva (clique aqui para fazer o teste de sonolência)

- problemas de memória

- redução da libido (impotência sexual)

- irritabilidade

- sintomas depressivos

- ansiedade

- cefaléia matinal (dor de cabeça)

- comportamentos automáticos

Entenda como funciona o Distúrbio Respiratório do Sono

Assista a apresentação do vídeo, em inglês, de como ocorre o funcionamento dos distúrbios respiratórios do sono: ronco e apnéia.

Dependendo de sua conexão, esta apresentação pode levar alguns minutos para carregar.

Tamanho: 3.98Mb

Formato: Flash

Aproximadamente 2 minutos e 10 segundos @ 256Kbits

Conheça o aparelho anti-ronco com tecnologia Alemã

O dispositivo anti-ronco foi desenvolvido com tecnologia Alemã, ele é composto por hastes e parafusos confeccionados em titânio, conferindo assim uma perfeita biocompatibilidade com tecidos intrabucais, onde estas hastes são inter-conectadas por duas placas de silicone ou acrílico (dependendo da indicação clínica) e adaptadas para uso noturno.

A função do dispositivo está em impedir com que os tecidos moles da cavidade oral, principalmente a língua, obstruam a passagem de ar para os pulmões, evitando desta maneira um colapso das vias aéreas superiores, consequentemente melhorando a respiração e regularizando o fluxo de ar.

Este dispositivo é de fácil adaptação além de permitir pequenos movimentos mandibulares e abertura bucal enquanto se estiver usando, e esta característica evita com que ocorram danos na articulação temporomandibular, característica esta que não é observada na grande marioria de aparelhos de ronco que literalmente " travam" a mordida durante o sono, resultando em danos articulares e dor.